Sustentabilidade Energia

Bioenergia: qual é sua importância e por que é a energia do futuro

Entenda como a bioenergia tem o potencial de mudar o mundo por meio da transição energética.

Por: Times de Energia e Sustentabilidade da Raízen Data: 26/01/2022 Tempo de leitura: 17 Minutos

O uso da bioenergia vem chamando atenção no Brasil graças ao seu potencial sustentável e por ser uma excelente opção frente às fontes de energia convencionais vindas de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineral e gás natural.

Mas, se depender de nós, ela será mais do que uma alternativa: a fonte principal de energia.

Quer saber por que a bioenergia é tão importante? A seguir, conheça sua definição, suas vantagens e seu uso no país nas próximas linhas.

Boa leitura!

O que é bioenergia?

A bioenergia é um tipo de energia utilizada para produzir eletricidade, combustível ou calor. Para entender o conceito, é preciso saber também o que é biomassa, pois é a partir dela que se pode obter a bioenergia.

A biomassa nada mais é do que uma matéria orgânica de origem vegetal ou animal. Por exemplo, o bagaço da cana-de-açúcar é um tipo de biomassa.

Ou seja, a biomassa é um recurso renovável que pode ser convertido em bioenergia, gerando uma alternativa aos combustíveis fósseis. Estes, por sua vez, ainda têm participação relevante na matriz energética mundial, mas, além de não serem renováveis, poluem mais.

Por que a bioenergia se tornou tão importante?

A maioria das fontes de energia utilizadas mundialmente causa impactos negativos no meio ambiente, já que são poluentes e não são renováveis. São fontes que usufruem de elementos finitos na natureza, como o petróleo. Por enquanto, apenas 14% da matriz energética mundial vem de fontes renováveis.

Nesse sentido, as formas alternativas de energia têm ganhado cada vez mais destaque, visto que as fontes tradicionais são mais poluentes e podem se esgotar. Assim, há demanda para matrizes como a bioenergia, que traz uma série de benefícios socioambientais e econômicos.



Projeta-se que, até 2050, a bioenergia corresponderá a quase 30% de toda a energia usada no mundo. Isso de acordo com José Goldemberg, presidente da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Para comparação, estima-se que, em 2019, o índice do uso mundial de bioenergia foi de aproximadamente 9%. Os dados são da International Energy Agency (IEA), organização intergovernamental autônoma criada no âmbito da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Leia também: Qual é a diferença entre energia renovável, não renovável e energia limpa?

Como surgiu a bioenergia?

O uso da biomassa para a geração de energia vem desde os primórdios da humanidade, quando a madeira era a principal fonte energética.

Mas a bioenergia se popularizou somente na década de 1970, com a crise mundial do petróleo, como é mencionado no livro “Bioenergia no Estado de São Paulo: Situação atual, Perspectivas, Barreiras e Propostas”, de José Goldemberg, Francisco Nigro e Suani Coelho. Naquela época, a súbita elevação do preço do petróleo no mercado internacional tornou imperativo recorrer a outras fontes de energia.

Assim, o setor industrial voltou sua atenção para a bioenergia obtida por meio da biomassa, por ser mais viável do ponto de vista econômico, além de ser uma fonte renovável.

Bioenergia e biomassa: entenda a relação

Como citamos no início do texto, a biomassa é uma matéria orgânica de origem vegetal ou animal usada na produção de energia.

Assim, a biomassa é uma matéria-prima de baixo custo, de rápido acesso e que armazena grande quantidade de energia, carbono, oxigênio e hidrogênio. É uma das poucas fontes que podem facilitar a produção de bioenergia em larga escala e de forma sustentável.

Isso porque, ao lançar menos gases poluentes na atmosfera, a geração de energia por meio da biomassa contribui de forma limpa para a redução da dependência de combustíveis fósseis e das hidrelétricas. Desse modo, diversifica-se a matriz energética do Brasil e do mundo e responde-se aos anseios da comunidade científica, stakeholders e conjunto da sociedade sobre os impactos da energia no meio ambiente.

Quais são as principais fontes de bioenergia?

O bagaço de cana-de-açúcar é a principal fonte de biomassa que utilizamos para gerar bioenergia.

Mas, além da cana, existem outras matérias orgânicas que podem ser utilizadas como biomassa. Podem ser usados como biomassa resíduos de vegetais, grãos e cereais, madeira e lenha, serragem, lixo orgânico e óleos vegetais, por exemplo.

As fontes para a produção de biomassa podem ser classificadas assim:

  • Culturas: produtos agrícolas já produzidos com a intenção de gerar energia, como a cana-de-açúcar.
  • Resíduos agrícolas e florestais: o que sobra da colheita e do corte de árvores, como madeira e serragem.
  • Subprodutos orgânicos: resíduos orgânicos da agropecuária.
  • Resíduos orgânicos: lixo doméstico e industrial.

Ah, a biomassa pode ser encontrada em três estados: sólido, líquido e gasoso.

Como é produzida a bioenergia

Até aqui, você já entendeu que a bioenergia é gerada a partir da biomassa. Mas como uma matéria orgânica consegue se transformar em bioenergia, produzindo energia elétrica e combustível?

Aqui na Raízen, aproveitamos os resíduos de cana-de-açúcar usados na produção de dois produtos: o açúcar e o etanol.

Sabia que nossas unidades são autossuficientes na produção de energia? Além disso, concentramos nosso pico de produção de energia justamente no período mais seco do ano, quando a matriz hídrica fica mais pressionada.




Como a bioenergia pode ser usada?

A bioenergia pode ser usada na forma de eletricidade, de combustível ou como fonte de calor.

Ou seja, são três produtos importantes que fazem a economia girar, visto que são necessários para produções industriais e para o setor de serviços.

A seguir, ressaltamos o uso da bioenergia para combustíveis. Ou melhor, biocombustíveis, que são soluções mais sustentáveis.

Quais são os combustíveis produzidos a partir da bioenergia?


Bioetanol

Também chamado de Etanol de 2ª Geração (E2G), esse biocombustível avançado apresenta um índice de 30% menor de emissão de gases do efeito estufa, se comparado ao etanol (E1G).

Biodiesel

Produzido a partir de óleos vegetais, é um combustível biodegradável e uma alternativa interessante ao uso do diesel comum.

Biogás

Um combustível muito versátil, o biogás pode ser convertido tanto em eletricidade quanto em gás biometano e colabora para uma matriz energética mais limpa.

Biometano

Também obtido a partir do biogás, é constituído principalmente pelo gás metano (CH4). De acordo com a Associação Brasileira do Biogás (ABiogás), o volume de biogás purificado usado para produção de biometano avançou no Brasil de 3% em 2019 para 19% em 2020, o que indica o potencial desse biocombustível.

As vantagens da bioenergia

A bioenergia tem muito a contribuir com a matriz energética brasileira. Que tal conferir suas principais vantagens em uma lista?

  • Gera biocombustíveis biodegradáveis
  • Favorece desenvolvimento econômico regional e rural
  • Melhora processos no setor da agroindústria
  • Ajuda a melhorar a qualidade do ar
  • Apresenta custos reduzidos em relação às matrizes tradicionais
  • Contribui para um menor descarte de resíduos em aterros
  • Garante uma energia confiável, segura e eficiente
  • Motiva pesquisas e o uso de tecnologias inovadoras para o meio ambiente
  • Conta com a produção de pellets, produto feito de restos de folhas, serradura e lascas de madeira, que substitui o carvão
  • Reduz a emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera

Bioenergia no Brasil: cenário atual e projeções futuras

O setor de bioenergia se desenvolveu bastante no Brasil nas últimas duas décadas e segue com grande potencial de crescimento.

Por exemplo, em dezembro de 2019 foi registrado um recorde da produção de etanol no país!

Isso faz da biomassa uma protagonista no setor de energia, ficando atrás somente das usinas hidrelétricas.

Com relação às regiões brasileiras, o sudeste leva vantagem na lista das zonas de maior potencial de geração energética usando a biomassa, com destaque para o estado de São Paulo.

Parque de bioenergia da Raízen no Brasil